Subsoil | Subsolo | 2013

X Bienal de Arquitetura de São Paulo, Centro Cultural São Paulo, SP 2013
curadoria | curatorship Guilherme Wisnik

Avenida Paulista, MASP, São Paulo, SP 2017
curadoria | curatorship Adriano Pedrosa e Tomas Toledo

A realização de SUBSOLO busca apresentar a brutal realidade da interrupção do Projeto Nova Paulista em termos de tamanho e força de intervenção na metrópole paulistana, com a proposta de comparar e explicitar a tensão interna em sua potência documental e também a força dos desdobramentos possíveis para além de uma arqueologia que pretende entender os fragmentos que restam e permanecem soterrados. Infelizmente a lógica que culminou em sua concepção e em sua construção, apagou-se no enterro, no abandono e no possível esquecimento. Trata-se de um projeto promissor que, com o passar do tempo, tornou-se simples resto de um objetivo interrompido, de um destino quase apagado.
Mediada pela ideia de registro visual e por evidências históricas sobre os subterrâneos da Avenida Paulista, SUBSOLO permitiu apresentar também aspectos importantes das relações políticas e sociais. O objetivo foi a realização de um vídeo/documento cujo tema apresenta questões do subsolo da cidade de São Paulo e a análise conceitual que, não apenas contextualiza estas imagens/passagens, mas propõe uma espécie de historia visual de momentos político-sociais relegados à invisibilidade.

O projeto Nova Paulista: um gigante Escondido

A avenida Paulista, inaugurada em 1891, foi concebida pelo engenheiro, agrônomo e jornalista Joaquin Eugenio de Lima e fez parte de um dos planos urbanísticos de crescimento da cidade e como já era previsto, tornou-se uma região fundamental e com grande fluxo. O crescimento voraz e o processo de verticalização, intensificou o movimento e a Paulista, localizada no alto da cidade, tornou-se corredor viário fundamental para a cidade. Cada um dos antigos lotes antigos da av. Paulista, que abrigava menos que dez pessoas, passou a abrigar centenas. Sendo assim, nos anos 1960, o crescente número de pessoas e conseqüentemente os crescentes congestionamentos demandaram soluções urbanísticas na região dando origem ao nascimento do Projeto Nova Paulista. O Projeto Nova Paulista previa a projeção de uma via expressa subterrânea, com 3 km de extensão conectando a Av Rebouças á Av. 23 de maio. A  Avenida Paulista teria, abaixo do segundo piso, a passagem do metrô e, na superfície, um boulevard com áreas de convivência e praças a serem utilizadas apenas pelo trânsito local. Com projeto desenvolvido pelo arquiteto Nadir Mezerani, nos anos 1960, grandes áreas foram desapropriadas pela prefeitura. A obra foi inaugurada parcialmente em 1971 e, em 1973, por questões políticas  foi interrompida. por questões políticas a serem explicitadas no decorres da tese, foi interrompida deixando no subsolo este enorme “gigante escondido” com acesso quase proibido.